quarta-feira, 27 de abril de 2011

Foi na semana antes do dia da mãe, na escola primária. A professora mandou os meninos fazer um postalinho para oferecer no Domingo seguinte à progenitora. Mas de entre todos, havia um que ainda não tinha tido o condão de descodificar o segredo das letras e das sílabas. Como se sabe elas demoram mais a descobrir-se para umas pessoas do que para outras. Por isso, angustiado, pediu ao coleguinha de carteira que escrevesse o seu. Ele anuiu. No fim, todos em fila, foram submeter a obra à aprovação da professora.
- Oh Joãozinho - perguntou ela - foste tu que fizeste o teu postal?
- Fui professora! - respondeu ele a tentar demonstrar um orgulho que não sentia.
- De certeza?
- Fui eu sozinho!

É que no postal do Joãozinho, por cima da casinha sorridente que ele (aí sim) tinha desenhado, estava escrito: "Mãe, és uma vaca. Odeio-te. Vai morrer longe."

As crianças são cruéis.