domingo, 13 de dezembro de 2009

Decidi que naquele ano ia descobrir o que era a minha prenda de natal sem ter que andar à procura pela casa toda, e afinei uma estratégia. Como sabia que a minha tia sabia o que era mas não me dizia, tentei por aí. Cheguei ao pé da minha mãe e anunciei-lhe:

- Já sei o que vou receber no natal!

- Não sabes nada!

- Sei sei! A Tia Zé disse-me! Eu chateei-a muito e ela disse-me!

- Grande malandra! Ela foi-te contar que te comprei um gira-discos?!

Fiquei muito orgulhosa do meu feito. Mas depois, no dia de Natal, aquilo já não teve a mesma piada não é?

3 comentários:

Paula Raposo disse...

Pois assim não teve grande piada.
Beijos.

Mariquinhas disse...

Sim, tens razão, não é a mesma coisa...Quando descobri que não havia Pai Natal, até chorei...Nos anos seguintes, continuei a escrever a carta, na tentativa de não receber mais uns pijamas;))

(Ainda hoje a minha filha de 25 anos gosta de ser surpreendida)

A Senhora disse...

Eu detestava fazer pedido ao Papai Noel, porque sempre mandava errado. Nunca era o que eu queria. Então preferia sempre os presentes que recebia dos meus tios - além da surpresa, sabia que eles tinham realmente pensado em mim. :))