quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

A minha preferida era a Pipi das Meias Altas. Vivia sozinha e o pai só aparecia de vez em quando para lhe dar dinheiro. Não havia ninguém para a mandar arrumar as coisas depois de brincar.Tinha a força de dez homens e a agilidade dum macaco. Também tinha um macaco. E um cavalo. Não ia à escola e saltava à vontade em cima dos sofás. Só comprava chocolates e rebuçados. Fumava charros com os amigos deitada na relva do jardim. Era um péssimo exemplo para todas as crianças porque felizmente nesse tempo ainda não se tinha inventado as coisas "educativas". Depois foi a tristeza. Veio a Heidi e o Marco, a Abelha Maia e os Moscãoteiros. E até mesmo a Pipi em versão mais moderna já se portava quase bem.
Curiosamente, a geração da primeira Pipi saiu muito mais educada do que as que lhe seguiram.

4 comentários:

Saltapocinhas disse...

Eu amava a Pipi!
O meu sonho nessa altura era ser como ela!!

Taralhoca disse...

Cof! Cof! Eu vi a Pipi em reposição, tenho a canção da Pipi num disco de vinil e cheguei até a disfarçar-me de Pipi no Carnaval. Com orgulho. Agora, faça-me o favor de não se meter com a Maia, o Dartacão e o Marco!!!! Isso sim!!

Paula Raposo disse...

Sou mais antiga que a Pipi!!
Beijos.

Mariquinhas disse...

a Pipi é que era, Castanha,valente, pois todos os outros ums lamechas que até metiam dó;))
O meu filho mais velho até cgegou a chorar por o Marco não encontrar o pai ou a mãe, jão não me lembro...."Educativos"?
Tens razão no que dizes -"curiosamente"...Nunca tinha pensado nisso:))