sábado, 21 de fevereiro de 2009

#2
Devido a contingências da vida, durante algum tempo morei numa vilazinha minúscula do sul, daquelas que à primeira vista parecem pequenos presépios encantados mas, num olhar mais próximo, vislumbramos as más-línguas, os esquemas e o espírito anti-forasteiro que lhes corre no sangue.
Mas isto era o menos. Por volta das quatro horas da tarde, as três esplanadas do largo principal começavam a encher-se de “primos” e “primas” (que era como eles se tratavam uns aos outros) e um odor a uma coisa que na minha cidade só serve para estragar as couves, caracóis cozinhados, empestava o ar todo, até ao ponto de teres a sensação de estares a ter alucinações estranhas. E o pior nem era o cheiro. Não! Era vê-los com uns palitinhos a tirar uns bichos viscosos, cinzentos e retorcidos de dentro de cascas retorcidas e… sim… a comê-los!... Sim, a comer coisas que só vemos em filmes de série B, com a descontracção de quem se senta para ver o Malato à noite na televisão… Empurrando aquilo tudo com litros e litros de super bock. P… que p….!

13 comentários:

mfc disse...

É como quando chegamos a uma Aldeia Histórica...! Tudo tão giro, tudo tão old fashioned, tudo tão perfeito!
Mas dentro das casas vivem pessoas tão imperfeitas ( e ainda bem..) como nós!
Só a forma muda!

Castanha Pilada disse...

Ou piores! Que "metem" caracóis e tudo!

A Senhora disse...

Eca!
Acho que nem nos meus pesadelos imaginei uma cena dessas! :)
Só faltou eles, de repente, olharem para você e você percerber que eram mutantes. :))

Castanha Pilada disse...

Isso! :)))

kuka disse...

E isso foi antes ou depois do ministro do ambiente ter autorizado a construção daqueles restaurantezinhos no sapal?

Kruzes Kanhoto disse...

Eu gosto de caracóis!

Luís Maia disse...

Esta acertei, caracóis caracoletas e familiares não passam de lesmas encasacadas, nojento

Castanha Pilada disse...

Kuka, sapal? Não deve ter sido aí...

Outra vez: Cruzes Kruzes!!!

Luís, totalmente de acordo.

kuka disse...

Foi foi!
As noticias nem falam de outra coisa.

Castanha Pilada disse...

Não sei de nada (assobiar para o lado)!

Emiele disse...

Eu estive mesmo para escolher esta como a outra mentira, até por me sentir assim tal e qual como tu.
Digo sempre que não gosto, e quando insistem «Como é que dizes que não gostas se não provas?!» explico que não preciso de provar para saber que aquilo me enoja...
Mas não sabia se eras assim, escolhi outra e portanto já falhei...

Gi disse...

Eu adoro caracóis, tu contando as coisas assim quase que me fizeste vomitar, mulher!

Castanha Pilada disse...

É isso Emiele, nem é preciso provar. Aquilo simplesmente não se come!

Lol Gi, desculpa! :)))