domingo, 1 de fevereiro de 2009

Vou contar-vos a história do "Five Star".
Era um rapagão jeitoso, enfim, pelo menos para os apreciadores do género. Grande, louro e de olhos azuis simpáticos e quase inocentes. Foi contratado para ser o nosso estafeta, que é como quem diz o tipo que acarretava os processos dum lado para o outro. Foi visível a todos que a chefe, rapariga de quarentas, assanhada q.b., foi logo sensível aos encantos do novo auxiliar de serviços. Então, após as apresentações e o acolhimento da praxe, como não havia processos para levar a lado nenhum naquele momento, mandou-o fazer umas etiquetas auto-colantes para identificar os documentos que tínhamos guardados nas várias estantes, coisa que já era necessária há algum tempo mas para a qual ainda não tinha havido oportunidade. Ele, na ânsia de se mostrar útil comum a todos os caloiros, meteu imediatamente mãos à obra. Algum tempo depois, deu a tarefa por concluída e chamou-nos para ver. Aproximámo-nos e, horrorizados, constatámos que as nossas prateleiras e armários estavam infectadas com etiquetas várias, coladas por toda a parte, em que cada palavra, escrita com uma caligrafia perfeitamente boçal, continha pelo menos dois erros ortográficos graves, quando não mais.
A chefe esboçou um sinal de que ia falar e, dada a fama (e proveito) de arruaceira que tinha, pensámos logo todos:
- Coitado! Está frito...
Só que, para surpresa geral, o que ela disse, embevecida e com um sorriso pateta na cara, enquanto (juraríamos) fixava o olhar num quadrante do novo colega algures entre os joelhos e o umbigo, foi:
- Este rapaz é cinco estrelas!!!

E foi assim que o S***** ganhou a alcunha de "Five Star". Até hoje, que já casou, ganhou barriga e gerou prole.

5 comentários:

Mai disse...

Que delícia ela deve ter dito...
E ouvindo 'amor I love you'..
Ficou indescritível...
Gostava de saber não o tamanho da barriga do *****
mas que tamanho eram as orelhas do 'five star'?

Quem concluiu o trabalho?
A chefe acalmou?

Que maraviilha.
Vir aqui já é um vício e um riso certo.

A Senhora disse...

Eu fico imaginando um dia ele explicar à "prole" o porque do 5star... :))

Boa semana!

Emiele disse...

De facto até poderia ter razão, não explicou a que é que atribuía as estrelas. Poderia ser ao esforço do rapaz. Não era obrigatório que fosse à inteligência ou à competência ou ao que estão a pensar...
São histórias destas que tornam este blog um vício. Irresistível passar por cá!

Gi disse...

E agora é um 5 Estrelas Michelin.

Castanha Pilada disse...

Mai, aquela chefe não acalmava nunca!!! :)))

Senhora, acho que a prole nunca vai saber. É um palpite.

Emiele, nunca ninguém percebeu o que valia as cinco estrelas. Eu, pelo menos, não. :)))

Lol Gi!!!