quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Era jovem, saudável, efusiva. Tinha tudo para ser feliz de acordo com os padrões em vigor. Só não gostava de ir à praia. Não que não lhe apetecesse enterrar os pés nus na areia quente, que não quisesse sentir a água salgada na pele e no sabor, que não gostasse do sol. Nada disso. Mas assim que se aproximava duma praia, toda ela gelava.
Lembrava-se das tardes com a mãe em criança. A mãe, uma daquelas pessoas que toda a gente conhece e esboça um sorriso trocista à sua passagem ou quando ela é tema de conversa. Divertido para todos menos para os filhos, a quem a constatação de ter uma mãe "cromo" dói desde a mais tenra infância.
Vêem-lhe outra vez à mente aquelas tardes de praia com a mãe, que correspondiam exactamente a quatro horas e vinte minutos de tormento, condicionados pelos horários do autocarro. Assim que chegavam, ela punha-lhes uma camada de creme na ponta do nariz e duas nas bochechas. Porque, segundo ela, só assim se protegiam dos efeitos nefastos do sol. A seguir, enfiava-lhes um par de cuecas de homem na cabeça, a ela e ao irmão mais novo e não lhes permitia que as tirassem. Eram, segundo ela, mais eficazes do que chapéus. Depois, até à hora de voltar para casa, sentavam-se ambos a um canto perto das dunas e choravam de vergonha, sujeitos à risada dos transeuntes.

10 comentários:

Miepeee disse...

Credo que maldade, essa sehora nao era muito normal !!

A Senhora disse...

Sem comentários...

Aliás, nem dá para acreditar!!! :))

A sério,mesmo?? Ou faz parte do desafio? :)

Castanha Pilada disse...

Miepee, essa senhora era uma ganda crooooomooooo!!!

Senhora, esta é verdade. E a mesma personagem tem outras que eu não conto por recear que ninguém acredite mesmo.

kuka disse...

E as cuecas eram daquelas à pai Adão?

Gi disse...

Pobres crianças, devem carregar imensos traumas.

PreDatado disse...

Coitada, super traumatizada.

mfc disse...

Que pesadelo!
Coitadas das crianças.

Castanha Pilada disse...

Kuka, esse modelo são as que não existem não são?

Gi, são matulões agora. Coitadinhos!

Predatado, super!

mfc, mesmo os que gozavam tinham ene pena!

Emiele disse...

E acredito que seja mesmo como contaste, a senhora muito contente, muito «boa mãe», cheia das suas comprovadas convicções.
De qualquer modo teve sorte com os filhos, que poderiam fazer um banzé como alguns meninos na praia, que até poderiam conseguir que ela deixasse até mesmo de ir à praia!...
para grandes males, grandes remédios!

Castanha Pilada disse...

Eles eram uns queridos! E tinham imenso medo de levar no focinho!