sexta-feira, 3 de abril de 2009

Chegava de manhã e dizia:
- Tenho que fazer um fax urgente!
Logo a seguir, ia tomar o pequeno-almoço. Depois o cafezinho para a concentração. E depois um cigarrinho para acalmar. Então voltava a entrar no gabinete e dizia:
- Tenho que fazer um fax urgente, por isso agora não me incomodem!
Sentava-se à secretária e tocava o telefone. Ela atendia e começava logo por:
- Tenho que fazer um fax urgente e não me deixam em paz nem um minuto!... Diz... Sim... Ah...
E continuava a conversa por mais meia hora mesmo já depois do interlocutor estar com vontade de desistir e mais para lá do que para cá. Após o massacre, finalizava com:
- Vá, agora tenho mesmo que desligar porque tenho um fax urgente para fazer!
Só que entretanto, depois duma conversa com alguém que tinha passado à porta do gabinete e mais três ou quatro cigarrinhos lá fora, chegava a hora do almoço.
- Vou almoçar - dizia - mas vou rapidinho porque tenho um fax muito urgente para fazer, até logo!
Quando voltava do almoço, umas duas horas depois, dizia:
- Boa tarde! Estou tão preocupada! Tenho um fax urgente para fazer!
E então, depois de ter contado com pormenor o que tinha almoçado, se estava bem ou mal confeccionado, com quem tinha conversado e sobre o quê, sentava-se e dizia:
- Agora vou fazer um fax que é urgente! Mas primeiro tenho que tomar um cafezinho e fumar um cigarrinho.
Voltava uma hora depois e dizia:
- Agora que ninguém me interrompa, que eu vou fazer um fax urgente!
Mas, pelo sim pelo não, ainda telefonava a umas quantas pessoas a avisar, entre grandes conversas, que não lhe telefonassem porque tinha um fax muito urgente para fazer, contando com pormenor por que era tão urgente e do que constava.
Entretanto, chegava a hora de saída. Eu, que tinha o servicito todo em dia e uma vida lá fora, levantava-me e dizia:
-Vou embora! Ate amanhã!
E ela, muito consternada, respondia:
- O quê?! Já?! É sempre a mesma coisa! A sacrificada sou sempre eu que fico cá até às tantas! Tenho um fax urgente para fazer e não posso sair antes dele estar feito e enviado!
Às vezes, ainda se atrevia a ser irónica:
- Obrigadinha pela ajuda! - ouvia eu quando já ia a entrar no elevador.

12 comentários:

Miepeee disse...

Sinceramente, como é que é possivel que nao ajudasses a senhora como o FAX urgente para o dia seguinte :P
Beijinho.

A Senhora disse...

não ajudou a tomar café, nem na hora do almoço, nem na hora do cigarrinho... ;)

bjs

Luís Filipe Maia disse...

Ouvi muitas vezes pessoas dizerem que iam mandar um fax antes de ir à casa de banho

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Também conheci um cromo desses. Tanto fax enviou depois da "hra de expediente" que hoje é ADMINISTRADOR numa empresa pública.

Monday disse...

Concordo com Luis Maia, era lorota corrente em algumas empresas daqui usar a frase "passar um fax" como metáfora para ir a casa de banho ...

mas, no caso dela, isso seria uma diarréia e tanto, não?

Castanha Pilada disse...

Miepeee e Senhora, sou uma preguiçosa incorrigível!

Luís, sim também já ouvi essa. Mas no caso dela não, era gaja incapaz de utilizar expressões idiomáticas nem segundas intenções.

Carlos, esta para já ainda não chegou lá.

Não Monday, no caso dela era prisão de ventre. E da grave! :)))

Taralhoca disse...

E são mais que as mães, essas vítimas!

Castanha Pilada disse...

São bués!!!

Emiele disse...

Uma descrição impecável, Castanhinha.
Que sorte os fax!

Mas também há o modelo dos que não sabem mandar um fax. Conheço. e conheço (ou conhecia que isto já foi há muitos anos) um que tinha no seu currículo que sabia «fazer ofícios». Ena, ena, riam-se os colegas ... mas que grande capacidade.

Castanha Pilada disse...

Lol, esse gajo devia ir a ministro!

Gi disse...

Eu vinha aqui comentar longamente, mas tenho um fax urgente. Sorry!

Ana disse...

AHAHAHAHAHAHAAH :)