sexta-feira, 17 de abril de 2009

Era uma jovem esposa e dona-de-casa que esperava um bebé. Por isso, quase em jeito de treino, convidava muitas vezes o filho dum casal amigo que morava perto para passar umas tardes lá em casa. Eles agradeciam e aproveitavam, porque cuidar duma criança de dois anos em regime non-stop pode ser, de facto, muito cansativo.
Numa dessas tardes ela fez salada de fruta para oferecer à criança. E, como lhe tinham ensinado desde pequenina, uma boa salada de fruta leva sempre um bom vinho do porto. Depois de tudo bem misturado e mexido, provou. Hmmm... podia estar melhor. Juntou um pouco mais de açúcar e um pouco mais de porto para rectificar e repetiu a operação algumas vezes até dar a tarefa como boa e como terminada. Depois, ofereceu à criança e serviu-se ela também. Estava tão boa, tão fresca naquela clima abafado de hemisfério sul! Só pararam ambos quando já não havia mais.
No fim da tarde, quando os pais vieram buscar o pequeno, estranharam a algazarra. Ele correu para os progenitores, sim, mas duma maneira estranha, rindo muito e cambaleando um pouco. A futura mamã, atirada para cima do sofá, ria também com vontade:
- Ai o vosso filho é o máximo!!!
- Oh filho! Tu... estás bêbedo???!!!
E ela continuava a rir:
- Não!!! Está só feliz!!!

É óbvio que a autora da salada de fruta não teve mais hipótese de treino até ser, ela própria, mãe, porque incompreensivelmente, os pais da criança não a deixaram ir mais vezes lá a casa.
E assim nasci eu, seis meses mais tarde, já habituada a salada de fruta com porto.

13 comentários:

A Senhora disse...

:))))))) Mamãe legal, a sua!!! :))

Erica Maria disse...

Rs....ah, meu Deus, sua mãe é demais!

Bjos no coração!

bell disse...

lol

Castanha Pilada disse...

Pois... como é que eu podia sair certa?

Saltapocinhas disse...

bem, assim está tudo explicado!!

Castanha Pilada disse...

Obrigadinha! :)))

Mariquinhas disse...

Eu sou do tempo das gemadas com vinho do Porto, para nos restabelecermos de uma gripe,se não morressemos da doença morreríamos da cura.

Emiele disse...

Eheheheh!!!
Esta fez-me lembrar uma outra história passada comigo em pequenina e que metia licor de leite, que já agora não conto aqui e vou guardar para o meu blog.

Mas pode adivinhar-se um pouco, se era «licor... de leite».

Castanha Pilada disse...

Mariquinhas, ainda me lembro disso e da minha ex-sogra as querer dar aos maus putos ainda eles eram bebés! Eu passava-me!

Lol Emiele, emborcaste um biberon inteiro disso?

Gi disse...

Bem me parecia que a culpada deste blogue era a tua mãe. ;)

Castanha Pilada disse...

Pronto, foi descoberta a verdade!

King disse...

Eheheh!
Vim do Pópulo para aqui, ela ao menos já era crescidinha, no teu caso nem sequer tinhas nascido, bolas! Imagina-se que ainda hoje associas o sabor da fruta ao vinho do Porto...

Castanha Pilada disse...

Sim claro, para mim é tudo vitamina!!! :)))