quarta-feira, 15 de abril de 2009

A senhora à minha frente pediu licença para atender o telemóvel, que era muito importante. Eu fiz-lhe sinal que não havia problema, estivesse à vontade. Só que, como de facto não havia mais nada para fazer ali, tive que ficar a ouvir a chamada, discretamente e enquanto rabiscava uns papéis.

- Olá! Sim... sim... estive... estão todos muito em baixo...
- ...
- Acho que aquilo foi assim, eles acham que houve negligência médica e querem levar o caso para a frente.
-...
- Porque ele tinha ido ao hospital da parte da tarde. Já não se estava a sentir bem. Eles examinaram-no, e isso, mas não encontraram nada. E então já não o deixaram sair de lá sem fazer autópsia.
- ...
- Sim! E ele disse: - "Mas eu não quero fazer autópsia nenhuma!" - mas eles não o deixaram vir embora e fizeram. Só que parece que, ao fazer a autópsia, perfuraram-lhe qualquer coisa...
- ...
- Foi. E então ele veio para casa mas passado um bocado morreu. Foi assim.

E eu a pensar perguntar qual era o hospital para nunca lá ir, não me vão eles fazer uma autópsia em vida. Mas não perguntei.

14 comentários:

bell disse...

Mas essa informação era vital! Também gostaria de saber, não me vá acontecer o mesmo;)

Castanha Pilada disse...

Não tive lata!

A Senhora disse...

:)))))))
E eu, a princípio, achando que você é que tinha se enganado na palavra! :))) Mas com tanta insistência, só podia estar falando de um morto-vivo! :))

kuka disse...

Há poucos dias vinha uma noticia no C.M. de um senhor a quem encomendaram o funeral numa funerária porque um amigo deu a noticia aos familiares de que o individuo em causa (hospitalizado) ía ser sujeito a uma autópsia. Pensaram que tinha morrido e trataram do enterro.
Só que, não era autópsia, era biópsia.

Emiele disse...

Kuka, enquanto me ria estava a concluir que a palavra só podia ser essa, mas ele há trocas impossíveis!

Neste caso o que soa é o «ÓPSIA» e pronto...
Depois é daquelas coisas que não dá para se dizer à pessoa que deve corrigir a palavra. Já tenho tentado em situações dessas e olham para mim com ar ofendido, encolhem os ombros e dizem «Ou isso!» sem se ralarem nada!

Taralhoca disse...

Eu sempre digo que não há como uma autópsia para ter a certeza!!
Ou extirpar o fígado para análise...

Gi disse...

E passaram-lhe a "Certidão de Óbidos"? Ó valha-me Deus!

Castanha Pilada disse...

Senhora, até eu pensei a princípio que tinha ouvido mal!

Kuka, pois deve ter sido isso, lol!

Emiele, e as consequências dramáticas que pode ter um "ou isso"!

Taralhoca, ou as duas coisas. Pelo seguro.

Gi, passaram mas só mais tarde.

Saltapocinhas disse...

ahahahah!!!

(mas eu ODEIO que falem ao telemóvel à minha frente!)

Saltapocinhas disse...

em relação aos autarcas, eu quis dizer é que vai haver mais 500 do que havia até aqui! todos os que já existiam a ainda mais 50!!!!

Castanha Pilada disse...

Ah!!!

Castanha Pilada disse...

Mas porque é que são mais 500?

Nós, Os Cachorros!!! disse...

Kakakaka autópsia em portugues de portugal é a mesma coisa que em protugues do brasil...
eu já achando que tinha outro significado...
meu deus!!! mataram o homem antes de morrer... rs
acho que devem ter adiantado o serviço... rs
beijos

Castanha Pilada disse...

:)))