quinta-feira, 26 de março de 2009

Era urgente explicar-lhe que, em Portugal, não devia dizer às crianças que lhes ia ensinar a fazer broches. Mas ela não se contentou com a proibição, como é evidente era crescida e inteligente e quis saber porquê. Decidi-me. Comecei por explicar em voz alta que para nós, portugueses, um broche é um acto... E acabei a explicação em voz muito baixa, quase sussurada ao ouvido, porque havia mais gente na sala. Usei palavras bem escolhidas, como se saídas dum livro científico. Nada de ordinarice. No final, era abriu muito os olhos de espanto e exclamou em voz alta:
-Sério???!!! Broche é bôquetchi???!!!

14 comentários:

Erica Maria disse...

Rs...cada coisa né?

Esses portugueses!

Bjooooooo no coração!

Miepeee disse...

Ahahahah, tanto trabalho a ser discreta para nada:)

A Senhora disse...

Sério????? É isso????!!! :))))))))
Que sorte a sua que não era eu, porque ainda eu era capaz de cair na risada. :))))

Castanha Pilada disse...

Oh Erica! Também, que raio de coisa vocês haviam de chamar aos alfinetes de peito!
:)))

Lol Miepeee, foi mesmo! Mas as palavras têm o peso que nós lhe damos ou que nos habituaram a dar-lhes.

Senhora, claro que depois toda a sala caiu na risada. Incluindo ela.

A Senhora disse...

É que eu fiquei lembrando de um post que você comenta sobre ela precisar de durex para fazer uns broches com as crianças... :)))

Castanha Pilada disse...

Pois... foi a mesma. :)))

kuka disse...

Fui visitar uns amigos em "Como". Ele Italiano, ela Portuguesa.
Uma noite fomos a "Lugano" na Suiça.
Parados num semáforo, reparamos que o carro à nossa frente balançava muito. Diz a minha amiga Isabel para o marido. É ela que está a fazer um pompino(acho que se escreve assim) perguntei: O que é isso? respondeu ele, que mal fala Português-é um broche-.
E ela: GUIDO!!! diz ele: Foste tu que me ensinaste.

Emiele disse...

A verdade Castanha Pilada é que a palavra no sentido inocente é bem mais antiga do que no 'actual' sentido. A minha avó sempre assim chamou aos ...«alfinetes de peito». A verdade é que a nossa língua, quer eu dizer o modo de exprimir, anda muito mais solta do que há umas dezenas de anos... Essa senhora só não se actualizou em relação ao actual calão. Tem a sua razão, coitada. Mas o desfecho da história é de grande gargalhada!!!!!

Taralhoca disse...

Ele é o broche, ele é a bicha...
O português é mais traiçoeiro ainda quando se cruza o oceano. :))))

Castanha Pilada disse...

Kuka, isso não foi um pompino, foi um blowjob como eu vi uma vez traduzido nas legendas dum filme: trabalho explosivo. Se o carro abanava, só pode...

Emiele, é por isso que a língua é um fenómeno em permanente evolução. Há uns anos, gay queria apenas dizer "alegre" em língua inglesa. E mais: há muitos muitos anos, uma puta era uma menina. Só.

Taralhoca, bicha é um fenómeno diferente de broche. Fenómeno linguístico claro.

A Senhora disse...

Agora me diz: para que o Acordo Ortográfico se assim é muito mais divertido?? :)))

Castanha Pilada disse...

Não sei. Essa gente que inventa os acordos não é nada divertida.

kuka disse...

Este episódio teve muita graça. E depois eu comentei: Mas a fazer isso o carro não abanava tanto! Respondeu o Italiano: Com as Suiças sim!Claro que não era nada disso.
Era rapaziada nova que saltava dentro do carro.

Castanha Pilada disse...

Ah! Então sempre pensaste o mesmo que eu!