quarta-feira, 4 de março de 2009

Nas tardes quentes de verão, quando o calor sufocava demais para brincar no quintal, aprendi as minhas primeiras frases em língua estrangeira.
Aprendi-as com a boneca espanhola que a minha avó me tinha trazido duma viagem. Era uma boneca morena de vestido branco aos favos e cabelo ondulado pelos ombros. Tinha uma guita na parte de trás do pescoço que se puxava para a fazer falar.
E eu ficava ali, preguiçosa e melancólica, puxando vezes sem conta e ouvindo as frases em número limitado que saíam aleatoriamente, por vezes tentando adivinhá-las antecipadamente, num jogo solitário.
"Te quiero mucho!", era a minha preferida...

6 comentários:

kuka disse...

Sei que já tenho "ouvisto" essa frase, mas de momento não me ocorre onde! Quando me lembrar digo.

Taralhoca disse...

Nascida e criada não muito longe da fronteira é claro que tenho mais do que uma boneca espanhola. Mas a única que tem (tinha) pio quando me chegou às mãos ainda não tinha aprendido a falar. Só chorava.
Não foi por isso que deixei de dominar o espanhol. Afinal o meu programa de todas as tardes era o "Barrio Sésamo".

Castanha Pilada disse...

Vê lá Kuka, terás uma boneca igual à minha?

Taralhoca, somos todos fronteiriços, até os do litoral. O terreno é tão estreitinho! :)

Emiele disse...

Bem visto! Afinal a Espanha é já aqui!
E isso de aprender uma língua estrangeira com uma natural do país é muito chic.
:)

Castanha Pilada disse...

Então não? :)))

Nós, Os Cachorros!!! disse...

Kakakaka sem comentários