segunda-feira, 22 de junho de 2009

ELA: O que é que eu ponho aqui onde diz "nome"?
EU: Depende. A senhora tem uma empresa constituída ou é empresária em nome individual?
ELA: Ai ai ai! Ai agora isso é que eu não sei nada.
EU: ??? Estou a perguntar se a senhora tem uma empresa ou se se foi só colectar às finanças para exercer a actividade de cabeleireira.
ELA: Ai ai ai! Mas isso é o quê? Eu não sei!
EU: D. R***, vamos lá com calma. A senhora tem uma empresa? Tem um nome daqueles que acabam em "unipessoal Ldª"? Ou não?
ELA: Ai ai ai! Sei lá, explique-me isso melhor.
EU: Mostre-me o seu cartão de pessoa colectiva.
ELA: É isto?
EU: Não, isso é o cartão de eleitor.
ELA: É isto?
EU: Não, isso é o cartão do banco.
ELA: É isto?
EU: Não, isso é o seu bilhete de identidade.
ELA: É isto?
EU: Isso mesmo! Mostre cá... A senhora é empresária em nome individual, por isso aí em cima põe o seu nome.
ELA: O nome todo ou como está aqui?
EU: O nome todo.
ELA: Mas eu no bilhete de identidade só assino o primeiro e o último.
EU: Sim, mas uma coisa é escrever o nome, outra é assinar. Eu estou-lhe a pedir que escreva o nome, assinar é só no fim.
ELA: Ai ai ai! Já não estou a perceber nada disto!
EU: Olhe D. R***, dê-me cá o impresso que eu preencho.
ELA (muito risonha): Sabe que de "brushings" eu percebo. Agora estas coisas, a senhora tem que me explicar como se eu fosse muito burra!
EU (só mentalmente): Mas tu és muito burra!

17 comentários:

Poisongirl disse...

Ah os esforços que temos que fazer para não verbalizar o que se pensa!kkk

A Senhora disse...

Ai ai ai...Mas até que ela foi bem esperta! Você fez por ela! :))

beijinhos

Mariquinhas disse...

Sempre sonhei ter um negociozinho, mesmo distinguindo os cartões que abarrotam a minha carteira, nunca pensei ser tão acessível a qualquer um, será que ainda vou a tempo?!
De momento só vejo um inconveniente, não devo encontrar uma "Castanha" para me aturar!

Fernando R. Silva disse...

Ela era loira?

Castanha Pilada disse...

Poison, é um esforço titânico às vezes!

Senhora, é que eu não queria ficar lá até agora a explicar!

Mariquinhas, tendo em conta o que eu vejo, qualquer um pode mesmo ser empresário. E às vezes até são os mais broncos que ganham mais, vá lá a gente perceber!
Por isso talvez seja melhor a gente não arriscar.

Não Fernando, era bem morena. Mas há quem diga que há sempre uma loira em cada um de nós. Isso e um louco.

A Senhora disse...

Castanha, eu faria a mesma coisa que você! :)

papagaio disse...

atendimento ao publico tem muito que se lhe diga.... não e para todos

Emiele disse...

Mas deve perceber bastante de "brushings" para se aguentar a gerir um negócio sem ir à falência com essa forma atarantada de olhar para o que está impresso... Talvez tenha alguém que vai olhando lá pelas contas correntes.
Eu conheço esse tipo de especimens, mas de uma forma geral com menos responsabilidades. Ela deve ter um contabilista, ou ai, ai, ai, nem sei como se entende com as finanças!

Emiele disse...

Reli o meu comentário e fiquei com uma dúvida (acho que imaginei-me na pele da senhora e já me sinto baralhada)Se calhar para se ter uma empresa, mesmo pequena, tem de se ter sempre contabilidade organizada e contabilista...

Taralhoca disse...

Isso da cultura mais ou menos geral é muito bonito, mas não enche barriga. O belo do brushing sim. A senhora até me parce ter um excelente critério de selecção. :)

Castanha Pilada disse...

Claro que farias Senhora. Eu sei. :)

Pois não Papagaio. Só para valentes.

Emiele, até te passavas se visses o nível médio dos empresários portugueses.

Taralhoca, então para a próxima mando-a ir ter contigo, dass!

Paula Raposo disse...

Eh eh eh

Castanha Pilada disse...

:)))

Gi disse...

E era loira também?

Castanha Pilada disse...

Não mesmo! O que não é justo. Quando elas são assim burrinhas deviam ser sempre loiras e boazonas, toda a gente tem o direito de ganhar a vida!

Sininho disse...

É de facto, incrível o que se ouve num atendimento ao público.
Para quem está de fora estas pessoas não fazem mais nada além de estarem sentadas, agarradas ao telefone, com duas folhas de papel A4 e um computador à sua frente portanto têm mesmo é que fazer a papinha toda ao utente... Depois ficam horrorizadas com o mau atendimento das nossas repartições..., pudera..., vão para lá já armados em 'sou eu e os demais contribuintes quem lhe paga o ordenado', falam mal, explicam-se mal e ainda exigem.
Pessoalmente, burocracias também despenso. Mas que raio ainda sei o meu CAE, NISS e essas siglas do género.
Beneficio da dúvida: a Sra era de idade avançadita?
É que parece que não, mas a faixa etária também conta. Se bem que as cabeleireiras sofrem com o estigma de serem 'todas' divorciadas, levianas e burras.
Cabeleireira, casadíssima, alguma leviandade em casa, dentro de quatro paredes e com muita coisa a aprender, Eu me confesso.

Já agora aproveito para felicitar a Castanha pelo blogue. Sigo-o com alguma curiosidade :)
cumprimentos

Castanha Pilada disse...

A senhora não era nada de idade avançada. Era mais nova do que eu. Era só... cabeleireira...
Obrigada pelo comentário :)