segunda-feira, 29 de junho de 2009

Uma amiga da minha mãe ofereceu-lhe um pouco de "flor do yogurte". Era uma coisa branca parecida com couve-flor, comida que eu odiava e ainda odeio a não ser em pickle, mas mesmo assim fiquei curiosa sobre o funcionamento da coisa.
- Isto mete-se dentro dum litro de leite - explicou a minha mãe - e no dia seguinte, pronto, já temos yogurte!
- Só assim?
- Só assim. Vais ver. E ainda por cima diz que se multiplica e, daqui a algum tempo, vamos ter mais flores do yogurte para fazer mais litros de yogurte.
E assim foi, mas em versão caricatura. A criatura cresceu e multiplicou-se como num filme de terror de série B e, uma semana depois, já ninguém podia ver yogurte à frente, além do que a nossa cozinha parecia um laboratório de ciências naturais, cheia de grandes frascos com leite onde cresciam, silenciosos mas ameaçadores, mais seres daqueles a que se chamava "A Flor do Yogurte".
Lembro-me que foi com alívio e com a participação em massa dos membros da família que aquela porcaria foi toda parar ao lixo.

17 comentários:

Mariquinhas disse...

Sem ainda estar refeita das respostas
que deu no "post" anterior, deparo-me com a transformação alquímica da "Flor do yogurt" e, num misto de gargalhada e comoção, lembrei-me da minha mãe que acreditava nos inúmeros benefícios dessa planta/fungo - Kefir - como ela chamava e ficava fascinada com o crescimento, alucinante, da "coisa"!

A Senhora disse...

Eu tinha horror a isso! :))
Talvez por isso, meu filho adora, mas, graças a deus, existe tudo pronto no mercado.

bjs

Saltapocinhas disse...

Ihihihihih!
também tive essa invasão em casa, também foi a minha mãe que me deu e também teve o mesmo triste fim!!
Canojo!!
E eu que nem gosto de iogurte!!

Emiele disse...

Recordo uma coisa parecida mas está muito apagado na memória, e tenho quase a certeza de que foi através do meu pai que aquilo entrou lá em casa.
Na altura não gostei mas isso não chega para decidir se seria bom ou mau porque na altura não gostava de nada que fosse para comer... Fui uma palerma de uma anoréctica até quase aos 10 anos.
Hoje gosto mas sem exagero. E não gosto dos de beber, aquilo para mim é uma coisa que se COME, e quanto mais firme melhor. E prefiro-os no Verão.

Poppie disse...

Eu devo ser mesmo a única pessoa do mundo que realmente gosta de iogurte de kefir. Quanto aos seus poderes milagrosos tenho sérias reservas, mas gosto mesmo daquilo. Pena é que dá um trabalho desgraçado a preparar e não tenho paciência. E os que se vendem já prontinhos são um exagero de dinheiro. De vez em quando lá ando à procura da flor e passo duas semanas e beber kefir a toda a hora. Depois farto-me. Do trabalho que dá, não do kefir.

PreDatado disse...

Dúvida: Ao menos era bom o yogurte produzido?

Paula Raposo disse...

Nunca comi esses iogurtes feitos com a flor deles! Também não aprecio iogurtes.
Um àparte: eu adoro couve flor. Beijinhos.

Dantins disse...

Lá por casa também se viveu uma história parecida, no entanto, não durou muito porque eu não apreciava o sabor :P

Gi disse...

Isso deve ter sido uma moda que se espalhou pelos nossos progenitores; também lá tive disso em casa dos meus pais. ;)

mariabesuga disse...

Pois eu lembro-me disso que apesar de nunca ter assentado em nossa casa era consumido e divulgado por uma tia.

Agora comsumimos cá em casa, trazido de uma amiga pela mão do meu marido. Não se chama flôr de iogurte mas kefir. Somos nós dois e nosso menino com quase 8 anos e à cerca de três anos que todos tomamos ao pequeno almoço u grande copo de kefir e uma taça de fruta. O João leva para um dos lanches na escola e nós tomamos mais também durante o dia. Todos gostamos e tomamos sem reservas. Claro que precisa ter-se o cuidado de não o deixar ficar muito azedo. Já temos deixado de 2 dias e fica denso e intragável.

Portanto, Poopie, ficas sabendo que não és a única pessoa a gostar de kefir.

Ah e aproveito... Se alguém quiser até mando pelo correio porque tenho já tanto!...

mariabesuga disse...

Ah já agora... como tenho muito e só faço a manutenção, não o usamos todo, por vezes faço queijo creme que usamos para barrar no pão ou em bolachinhas e misturando ervas aromáticas dá cremes que acompanham muito bem grelhados.

Fantasia Musical disse...

Já sei que não estou a ser original, mas confesso que me sabem mesmo bem estes momentos no teu blogue. Há quem chegue a casa, tire os sapatos e se estique em frente à TV. Eu prefiro chegar a casa, tirar os sapatos e ler mais algumas das tuas histórias fantásticas :D
Já cá não vinha há uns dias... Hoje "tirei a barriga de misérias" (eh, eh, eh...)

Castanha Pilada disse...

Mariquinhas, kefir é? Já aprendi uma coisa nova. Para a minha mãe era flor do yogurte, que por acaso era também na época o slogan da Yoplait.

Senhora, também desenvolvi um certo horror àquilo.

Saltapocinhas, eu de yogurte gosto. Desse tal kefir é que eu desconfio um bocado!

Emiele, assim é que é? Coisas que se comem, quanto mais firmes melhor! Mainada!

Poppie, mas aquilo dá trabalho? Eu só me lembro da coisa crescer sozinha como num filme de terror!

Predatado, para o meu gosto, nem por isso. Enchia aquilo de açúcar e nem assim.

Lol Paula! A couve-flor também merece que alguém goste dela! :)))

Dantins, foi como eu. Yac!

Gi, e os progenitores, quando lhes dá para modas!...

mariabesuga, aquilo multiplica-se como os chineses não é? :)))

Obrigada Fantasia, é bom saber! :)

Saltapocinhas disse...

Ah, já tinha ouvido falar de kefir, até já vi porque uma aluna levou para eu ver um dia destes, mas não associei uma coisa à outra!
E agora deduzo que o que a menina levou para mostrar era mesmo enfezado!!

Castanha Pilada disse...

Eu também aprendi agora que aquilo era kefir...

mariabesuga disse...

ah essa de se multiplicar como os chineses tá boa. há dias mandaram para o meu marido um pps de nome "fábricade chineses" e agora pensando bem os grãozinhos de kefir devem fazer as coisas mais ou menos da mesma forma. mas olhem que o kefir até nem é mau. já estou um cadinho farta de manter o que vai sobrando mas tenho pena de deitar fora. há sempre quem queira mas não ao ritmo que ele vai crescendo...

Castanha Pilada disse...

É uma pragazinha não é?