sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Eu estava autorizada a usar saias muito curtas porque ainda era criança. Mas já estava avisada que depois de crescida não o poderia fazer. Apesar de, naquele tempo, a mini-saia ser um êxito absoluto no estrangeiro (ou "lá fora", como se dizia então a indicar que nós estávamos cá dentro, como sinónimo de fechados), nas aldeias e pequenas cidades de Portugal, só as muito ousadas e dispostas a abdicar dum casamento sério a usavam.
Eu, secretamente porque não podia dizê-lo, decidi que depois de crescida iria usar mini-saia, como a catequista que morava em frente e toda a gente dizia que não prestava e se enrolava com o padre. Basicamente, o que eu decidi foi que estava farta de sermos todos tão pequeninos e acinzentados, nada mais do que isso.
Para meu azar, quando os anos setenta desabrocharam e eu também, a mini-saia passou a ser uma coisa obsoleta. O que se usava era a maxi, a midi e as calças à boca de sino. E isto, enfim, há limites para tudo: Perdida é naquela, mas fora de moda é que nunca!

10 comentários:

Paula Raposo disse...

É verdade! Usei muitas midis e calças à boca de sino. Beijos e bom fim de semana.

mfc disse...

E fizeste tu muito bem!
E sabes uma coisa?!
... eu gostava de ver!!

Castanha Pilada disse...

Paula, e as de tweed? Ai as de tweed!

mfc, isso é voyeur. Não é?

Mariquinhas disse...

Pois. eu, minha amiga Castanha, usei a mini(não tão, como a Twiggy), os hot pants não usei, depois usei a midi e a máxi...Foi a vantagem de ser mais velha:))

Ah,também tive um macacão de tweed, comprado nos porfírios na Rua da Vitória, na baixa, se bem me lembro...Picava no corpo, mas era muito moderno.

Castanha Pilada disse...

Sim, o tweed picava imenso. Eu só o usava em saias e forradas!!!

A Senhora disse...

Eu peguei pouco dessa época. Eu achava linda! Fiquei nas minis por um bom tempo, até crescer. E chegar aos 1,70m e magrela não é lá uma coisa fácil e que a moda tenha ajudado... Minha mãe teve que fazer curso de costura para poder atender a demanda e os gostos sempre instáveis.
Depois... depois eu fui feliz! :)

Monday disse...

Eu ainda lembro das minhas primas, duas irmãs, uns três a quatro anos mais velhas que eu, nos idos de 73, a mais nova com uma minisaia que não sei como cobri algo, e a mais velha com a calça boca de sino.
Aliás, pelo tamanho da boca, devia ser um sino de uma catedral ...

mariabesuga disse...

Pois lá em casa também não se podia usar minisaia. Eu tive uma saia que passou de uma das irmãs mais velhas como ainda me ficaca um nadinha grande, quando eu ia à vila que era o que dizíamos quando íamos fazer recados à mãe ou a alguma vizinha , eu armada em esperta dobrava a cintura e antes de chegar a casa desdobrava-a. Comi algumas das boas pelas vezes em que me esqueci de fazer a desdobragem e cheguei a casa contentinha de saia curta. E nem sequer ficava mini e eu tinha para aí 11 ou 12 anitos. Enfim...

Calças à boca de sino tive sim daquelas que como já li aqui deviam ser de sino de catedral...

A esta distância no tempo parece tudo uma anedota mas naquele tempo era... uma déli!!!...

Beijinhos Castanha
Dias Felizes!

Castanha Pilada disse...

Senhora, aí está um bom remate: eu fui feliz! :)

Lol Monday, gostei da imagem do sino!

Maria, grande truque esse da dobragem. Só falhava a execução! :)))

Emiele disse...

É a grande vantagem da época moderna - usa-se tudo, não é?
Claro que tudo é um modo de falar. É irritante as calças serem descaídas e quem as quiser a acabar normalmente na cintura, pode correr lojas que não encontra. Depois é ver meninas e senhoras, com um belo pneu entre as calças e a teeshirt, todas contentinhas da silva...