quarta-feira, 19 de agosto de 2009

- Tenho tantas coisas para tratar! Os terrenos, as casas, a papelada! Isto dá tanto trabalho! Se a gente vende qualquer coisa tem logo uma carga de trabalhos! E logo agora a minha filha quer que eu vá aos Estados Unidos. Vai ser um transtorno. Amanhã já vou!
- Deixe lá! - respondi eu - Aproveita para passear e esquecer as chatices por uns tempos!
- Pois... Mas é para ir ao funeral da minha netinha.

Quando ouvi isto, juro que pensei que estava a ouvir mal. Olhei para ela aparvalhada, à espera de mais qualquer coisa que me esclarecesse sobre tamanha descontracção. Ela começou a remexer na carteira à procura duma fotografia para me mostrar.

- Tinha 19 anos... Mas estava doente... Ah! Está aqui!

E passou-me para a mão a foto duma jovem negra, deitada num sofá com um ar bastante debilitado. Eu continuava sem palavras.

- E é assim. - continuou ela como se nada fosse - Eu por mim nem ia, não vou lá fazer nada! Mas a minha filha insistiu, insistiu... Paga-me as passagens e tudo!

A seguir, mesmo logo a seguir, voltámos à conversa sobre os registos dos terrenos.

8 comentários:

mfc disse...

Os intervalos dos registos são danados!

A Senhora disse...

Assim? Desse jeitinho meigo? Vai ver ela disfarça bem a dor da morte da netinha...
Isso me lembrou a sogra do meu irmão, cercada pelas duas netinhas e o neto: "a melhor coisa do mundo que Deus podia ter dado sào os netos - são bem melhores que os filhos." (eu fiquei a imaginar como deveria ser minha cunhada :)))

Paula Raposo disse...

Eu também fiquei sem palavras...podes crer!

Anónimo disse...

Grande cabra a velha.


Euzinho

kuka disse...

Faz-me lembrar a historia do rio Africano, atulhado de crocodilos, que atravessado por pretos, a nado, os tornava brancos. Um casal com dois filhos tentou a travessia. Primeiro o pai. Conseguiu a proeza e ficou branco. Depoi a mulhaer. Também conseguiu. O menino mais velho, idem. Até que o outro filho foi apanhado pelos crocodilos. A mulher chorava copiosamente. Diz-lhe o marido: Estás a chorar porquê? Era um preto!

Castanha Pilada disse...

mfc, espero que não lhe aconteça alguma coisa do género em cada intervalo de registos.

Lol Senhora, já ouvi vários avós dizer coisas desse género! Eles nem as pensam!

Pois Paula...

Euzinho, isso é que é falar!

Lol Kuka, isso é que é falar também! :)))

Saltapocinhas disse...

Transtorno???
A mulher merecia umas chapadas...

Castanha Pilada disse...

Bem dadas...