quarta-feira, 8 de julho de 2009

Um momento inesquecível foi quando a Tia M**** trouxe das Caldas da Rainha, para oferecer à D. S*******, senhora com pretensões a muito educada e fina, um baton de onde saía, quando se rodava, uma pilinha vermelha pequenina como a dos cãezinhos lulus.
- Ai, obrigada, porque é que se esteve a maçar? - perguntava ela antes de abrir o presente, com aquele tom de quem quer dizer de facto "Esta gaja pensa que eu não tenho batons? Para que raio quero eu esta porcaria?"
E logo a seguir, com aquilo na mão já de segredo desvendado, os netinhos à volta em grandes risadas, sem saber se devia rir também ou atirar com o fálico cosmético à cabeça da velha. Optou por um sorriso muito, mas mesmo muito amarelo. E sobretudo, indisfarçavelmente contrariado.

12 comentários:

mariabesuga disse...

Aqui nas Caldas é peças dessas por todo o lado. Agora até criaram e muito bem um movimento em defesa do dito... Mas olha também te digo que para Donas S*** assim nunca são de mais.

Paula Raposo disse...

Eh eh eh já me ri com a tua história!! Beijos.

opinião própria disse...

É fundamental o sentido de humor...

Mariquinhas disse...

Eheh...Há pessoas a quem lhes dá um gozo enorme pregar dessas partidas (brejeiras) e com efeito, quase sempre, garantido!!!

A Senhora disse...

Onde foi que vi um video-reportagem de um homem que só fazia dessas coisas há anos? Fazia e a mulher pintava, com olhinhos e tudo.:))

Monday disse...

saber receber presentes indesejados é uma arte ...

Emiele disse...

Estou como a Monday, é difícil receber certos presentes, e esse na presença dos netos e tudo!!!
Que grande partida!
Mas uma coisa vinda das Caldas já se poderia estar de pé atrás! Ela além de muito educada e fina, era um tanto tótó...

Taralhoca disse...

A loiça das Caldas é um património cultural luso com relevo só equiparável às anedotas de alentejanos.
E a bem da preservação da nossa cultura todos devemos contactar com ela. Mesmo as senhoras finas. Ainda que não com os lábios...

R. disse...

Ora ora!

E ainda levou o batom que à primeira vista ainda disfarça.
Imagina se tivesse mesmo levado a ceramicazinha tradicional... :)

Óptimas histórias.

R.

Castanha Pilada disse...

mariabesuga, já estou a imaginar o nome do movimento. É MDC? Lol!

Paula, até eu, quando presenciei o acontecimento! :)

opinião própria, mas há quem tenha tanto como uma cadeira.

Mariquinhas, mas por acaso aquela nem era dessas coisas, não sei o que lhe deu dessa vez.

Lol Senhora, com olhinhos?! Mas o gajo não é cego como as toupeiras??? :)))

Se é Monday. Se é!...

Emiele, bastante totó. Já rendeu muitas histórias aqui e há-de render mais se Deus quiser.

Taralhoca, com que parte devem então contactar as senhoras finas? :)))

R., se tivesse sido o próprio... o das caldas... nem tinha dado suspense. Perdia logo a piada.

mariabesuga disse...

Não Castanha, chama-se "Confraria do Príapo". Afinal não é um movimento... Príapo era um deus da fertilidade... As coisas que a gente aprende com... os das Caldas.

Castanha Pilada disse...

Lol! MDC era mais giro! Se fosse por extenso, claro!