sexta-feira, 3 de julho de 2009

De todas as fotografias do meu passado, há umas que me perturbam particularmente. São as do primeiro casamento do meu tio J***, que contrariou a tradição casando em pleno inverno. Não foi com certeza por isso que o casamento durou pouco, mas foi por isso que se tornou um dos maiores dramas da minha vida.
Como sempre acontece em casamentos e baptizados, todos os convidados vão de farpela nova. E assim foi no caso vertente. Apenas com um pequeno pormenor: Naquele tempo, não era costume perguntar-se às crianças o que queriam vestir, apresentava-se-lhe a roupa decidida e estava feito. E foi o que fez a minha mãe, que me comprou umas calças de fazenda e uma camisola de pura lã, tudo de óptima qualidade, afiançava ela com a boca a fugir-lhe para o "Ingrata!", e eu acreditava, mas cuja aspereza me fez andar todo o dia direita, quase sem me mexer. Qualquer movimento em falso me provocava comichões insuportáveis.
Quando olho para mim naquelas fotografias, é isto que vejo: Um robot da legião de tropas do Darth Vader.

6 comentários:

Paula Raposo disse...

Na altura não 'tínhamos voto na matéria'! Coisa que me fartei de ouvir. Beijinhos.

Castanha Pilada disse...

Era mesmo isso, já nem me lembrava da expressão!

A Senhora disse...

:))))))
Um amigo casou-se e todas as fotos saiu exatamente assim. eu achei curioso - parecia que tinha a faca ao pescoço. daí ele explicou-me que havia esquecido de tirar um alfinete da camisa nova, justamente no pescoço.

A minha diferença com as roupas de casamentos, quando era pequena, era justamente ter que vesti-las. Sentar-me como uma "mocinha" era quase impensável! :)

Mariquinhas disse...

Castanha, que desconforto, se calhar, nem os doces do casamento saboreaste de jeito, para mim, era o melhor da festa!
Eu também tive a minha parte "gaga" nesta questão de casamentos. Uma prima minha, emigrante nos Estados Unidos, veio casar à sua Terra e fez um casamento à moda americana (julgo de inspiração italiana) vai daí convidou-me para dama de honor, eu tinha 14 anos na altura. Ela trouxe indumentária já feita, capelina de palhinha de nylon, vestido de organza lilás e debruado a cetim na mão levava uma cesta com flores, enfim, uma piroseira de todo o tamanho. Eu já tinha ideias muito próprias e esta "cena" seria a última que eu desejasse participar. Fiquei vacinada - fretes - não obrigada!!!

Fantasia Musical disse...

Casei-me em Dezembro e adorei!
;)

Castanha Pilada disse...

Caramba Senhora! E não dava para tirar discretamente???

Mariquinhas, eu nem me lembro dos doces! Devia haver, mas eu nem me lembro! Mas essa da dama de honor à amaricana também não deve ter sido nada fácil!

Fantasia, eu também me casei no tempo frio, curiosamente. De todas as vezes! :)