quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Lembro-me sempre dela com um sorriso e nessas alturas penso que espero que ninguém se lembre nunca de mim com um sorriso igual. Já não me lembro como se chamava mas toda a gente a tratava, menos do que carinhosamente, por "Bolinha". Aparecia nas instalações quando nós estávamos a sair, para fazer a limpeza. No pino do verão, despia-se e limpava os vidros das grandes montras em soutien e cueca, ambos beges ou brancos com muito elástico e reforços, enquanto cá fora os transeuntes ficavam a apreciar a cena única de ver a mulher do boneco Michelin a fazer a lida. Era loira e muito branca e o calor em exagero provocava-lhe alergias e irritações cutâneas constantes.
Um dia apareceu sem o sorriso habitual e confidenciou como costumava fazer (em alta voz e à frente de todos), que tinha desenvolvido uma infecção genital e não sabia como pois há três meses que já não traía o marido. Entrou na casa-de-banho e, uns minutos depois, chamou uma das nossas colegas. Ela foi expedita, cuidando que a Bolinha se tivesse sentido mal. Quando entrou, estava ela sentada na sanita, com as cuecas nos tornozelos e a saia bem subida com a ajuda de ambas as mãos. Muito preocupada perguntou-lhe em jeito de quem pede a opinião:
- Estás a ver? Tenho tudo vermelho!

6 comentários:

Mariquinhas disse...

Ó mulher tu tens "matéria" e personagens dignas dum filme à boa maneira de Fellini ou até de Almodóvar (este está vivo) assim um realizador português, não estou a ver ninguém, com talento para o "género":))

Paula Raposo disse...

Que cena!!!

A Senhora disse...

:))))) Tadinha! E já fazia 3 meses que não traía o marido? E como é que ela conseguiu isso?! Santa Bolinha...

Castanha Pilada disse...

Mariquinhas, acho que todos temos. Depende também um bocado do nosso grau de maldade, lol! Quanto ao realizador, decididamente tinha que ser italiano, embora às vezes eu imagine as minhas histórias em estilo britcom. :)))

Paula, que cena mesmo, a cachopa saiu de lá amarela!

Senhora, ela tinha muito auto-controlo! Lol!

Mariquinhas disse...

Nã não tem a ver com maldade tem a ver com "um certo olhar, a sério, que não é apanágio de todos - não é bom nem é mau é assim - a tua escrita denuncia isso e aí chamo talento.

Castanha Pilada disse...

Bolas, até estou "embaçada"! :)