terça-feira, 24 de novembro de 2009

De todas as histórias de que me lembro e conto, aos outros e a mim, não consigo identificar nenhuma que tenha contribuído para a minha maior fobia, que só os muito íntimos conhecem. Sei que vou viver assim até ao fim. A recuar, a afastar-me discretamente em determinadas circunstâncias, a disfarçar um horror tão ridículo quanto real, para mim. E não vale a pena andar a vasculhar nos armários da minha vida. Há coisas que se escondem sem remédio. Já me habituei.
Na verdade, como já devem ter visto, isto não é uma história. É só uma tentativa de descobrir se toda a gente tem segredos.

5 comentários:

Paula Raposo disse...

Possivelmente temos.
Até para nós mesmos.
Beijos.

Mariquinhas disse...

Se o tentar manter, uma ou outra vivência, pela dor (não fobia) que me causa, na penumbra da memória - chamar-se "segredo" - sim, eu tenho segredos...

A Senhora disse...

Poxa... Já é a segunda vez que passo aqui para ver se tem algum segredo que escapou...;)

Castanha Pilada disse...

Pois Paula, eu pelos vistos escondi alguns de mim.

Mariquinhas, é verdade. Temos todos.

Lol Senhora!

Marina disse...

Somos mesmo todos assim.
Cheios de historias e segredos.
E alguns mesmo que nao poderão nunca ser contados.

PS: Adorei passar aqui e ouvir Trovante!