segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Estão a ver aquelas histórias entre o número de circo em que o palhaço pobre tropeça e cai e a anedota da Dica da Semana? Aquela situação clássica em que uma pessoa muito, mas mesmo muito surda, entende tudo ao contrário? Não tem piada nenhuma, dizem vocês. Pois não, respondo eu. Mas isso é na teoria. Na prática, quando perguntei ao senhor idoso à minha frente "Onde é a sua casa?", e ele, com a mão em concha na orelha me respondeu "O quê? Se eu já fui à caça?", eu tive que pedir licença, retirar-me lá para trás e dar com a cabeça na parede até perder a vontade de rir.

8 comentários:

Maria disse...

Sim, estou a ver , melhor, a imaginar - também já me aconteceu rir das coisas mais parvas nas alturas menos convinentes:))
É mais ou menos como se usa e abusa dizer - é tudo relativo:))

Paula Raposo disse...

Calculo sim! Situações que acontecem. Beijos.

A Senhora disse...

Eu só calculo, porque já comecei a rir do lado de cá. Ainda bem que meu pai não está por perto. :)))

Emiele disse...

Imagino bem. O difícil deve ter sido não rebentar mesmo à frente dele... :)

Taralhoca disse...

Já tive tanto ataque de tosse à custa de situações dessas ou parecidas. Há-de haver quem pense que tenho catarro... :)))

Castanha Pilada disse...

Maria, é isso. É tudo relativo.

Paula, acontecem e geralmente nas piores alturas.

Senhora, tadinho do senhor! Lol!

Emiele, foi difícil mesmo.

Lol Taralhoca, essa de disfarçar com tosse também já tentei!

mfc disse...

Tens toda a razão... tudo depende do momento.

Castanha Pilada disse...

Pois... Há momentos fatais.