segunda-feira, 9 de novembro de 2009

A minha mãe estava a arranjar o jantar.
- Mãe! O que é isso?
- Carapau.
- De corrida?
- O quê?!
- Se esse carapau era de corrida.
- Não...
- Os de corrida têm um número nas costas?
- Não há carapaus de corrida!
Não foi exactamente como no dia em que descobri que não havia Pai Natal, mas também foi com um certo grau de decepção que descobri que o animal de que o meu pai mais falava... não existia.

6 comentários:

Mariquinhas disse...

Hehe, muito bem observado...Lá em casa era - "armado aos cucos" - não menos complicado, para mim, pois o único cuco que eu conhecia era o do relógio da minha tia e, que eu soubesse, não dava tiros - cantava
Ainda hoje em dia há coisas, para mim, inexplicáveis:))

A Senhora disse...

Passo... :(

kuka disse...

Os peixeiros de há uns anos, compravam os carapaus na lota, montavam em bicicletas motorizadas com as caixas de carapau na traseira das mesmas e toca de acelerar a ver quem chegava primeiro aos diversos locais de venda. Eram esses os chamados carapaus de corrida.

Emiele disse...

A mim o que fazia espécie em criança é que os peixes quase sempre só pertenciam a um género: os carapaus não tinham 'carapá', as pescadas não tinham 'pescado', as sardinhas não tinha 'sardinho', o pargo não tinha 'parga', o bacalhau, 'bacalhá' - e depois encontrava ovas dentro do que devia ser um macho. Sempre estranhei isso porque nos outros bichos a coisa não era assim.
Mas essa do carapau de corrida está mesmo bem visto, e nunca pensei no que disse o Kuka mas se calhar era isso.
Não faço ideia porque se diz armar aos cucos - creio que o 'armar' não tem a ver com armas e sim com fazer de conta que - porque não vejo em que é que os cucos sejam de invejar...

Mariquinhas disse...

A observação da Emiéle, quanto às qualidades, passivas de inveja, dos “cucos”, fez-me lembrar outra expressão de sentido idêntico - “Armar aos cágados”;))
A explicação do Kuka, é muito interessante e assim a expressão faz sentido.
Castanha, a propósito dos teus “ carapaus de corrida” dou por mim a tentar perceber outras expressões, usadas com a maior das inocências, como esta que o meu pai dizia para a minha mãe referindo-se a nós quando não cumpríamos as nossas obrigações - “ T..... esses rapazes têm que ser responsáveis, não é só laurear a pevide” – e mais tarde, alguém me explicou que queria dizer - vadiar - também como esta - "não parar com o rabo sossegado" – pois, o meu pai era “sério” demais para dizer - “estes rapazes têm que sossegar o rabo a estudar”...Pronto, está dito e "apanharam uma seca" a culpa é tua Castanha:))

Castanha Pilada disse...

Mariquinhas, armar aos cucos e armar aos cágados também se usava lá em casa. E eu também não as entendia. Mas de facto, laurear a pevide era o auge.

Lol Senhora, ok. Passado então.

Lol Kuka, não deixa de ser uma boa explicação.

Emiele, então e os girafos? E os formigos? E as tigras?