domingo, 22 de novembro de 2009

Quando os meus pais não estavam em casa, fazíamos um restaurante. As mesas eram os bancos da cozinha e as cadeiras eram cadeiras mesmo, mas daquelas miniatura, de madeira, que na altura se compravam nas feiras e romarias por cinco escudos. Eu era a dona do restaurante e acumulava com o cargo de cozinheira. Os meus irmãos eram os clientes. Eu ia ao frigorífico e fazia omoletes recheadas de pão ralado, cascas de fruta ou bolachas maria, que eles comiam (de verdade). No fim, eu levava-lhes a conta e eles pagavem-me com notas que nós próprios tínhamos desenhado e recortado. Nesse tempo não havia ASAE nem livros de reclamações.

7 comentários:

Paula Raposo disse...

Que maravilha!! Eu também tive uma cadeira dessas.
Só tenho um irmão mais novo 6 anos, não brincava aos restaurantes...eheheh

A Senhora disse...

Eu brincava de comandante de expediçòes interplanetárias. Já meus irmãos mais novos adoravam ser chefs de restaurantes. Trancavam a porta da cozinha e só abriam depois do omelete pronto. :) Meus filhos estão fazendo a mesma coisa... Graças a Deus não tiveram a brilhante idéia de cobrar, porque duvido muito que eles aceitem dinheiro do Banco Imobiliário. :))

Mariquinhas disse...

Eheheh, fabulosa...
Do que eu gostei mais foi das omeletes com cascas de frutas. A Castanha sempre na vanguarda - inovando - "cozinha de autor" - percursora do conceito "3 Rs" - levando em conta, claro, que os seus irmãos não desperdiçavam - crianças de boa boca, benza a Deus;))

Também fiz as minhas avarias no plano gastronómico - era mais bolos em miniatura e biscoitos para as festas das bonecas - baptizados e aniversários...

Emiele disse...

São giríssimas as tuas recordações e como sempre acabam por ser uma cantiga ao desafio porque vêm lembrar a cada um de nós as suas avarias por essas idades.
Claro que os teus irmãos tinham bom feitio, mas nessas idades quando a comida é brincadeira não se é muito esquisito... É engraçado que a isso nunca brinquei. Devia por ser tão raro ir a um :) Para ser franca nem me lembro de ir quando era muito pequena.

milhita disse...

Quando era pequena, minha irmã e eu tambem faziamos dinheiro desenhado e faziamos de conta que tinhamos um consultorio. Tratavamos todas as doenças imaginarias, cuidavamos das feridas com panos e lenços e algodão. Passavamos receitas com desenhos e sabiamos a importancia de cuidar.
De vez em quando tinhamos uma fila de espera na sala improvisada no chão, tinhamos muito trabalho.
São bonitas estas memorias

Taralhoca disse...

Castanha Pilada na vanguarda da cozinha gourmet - omeletas com cascas de fruta..
Eu e os meus primos fazíamos bolinhos de terra no alpendre da minha avó. Infelizmente nunca ninguém se ofereceu para gastar o seu dinheiro do monopólio para os provar.

Castanha Pilada disse...

Paula, as cadeiras eram um must.

Senhora, eles têm razão Chef de cozinha é uma profissão com mais saída do que chefe de expedição interplanetária.

Mariquinhas, eu sempre fui muito à frente, lol! Sou uma incompreendida!

Emiele, também não me lembro de ir muitas vezes a restaurantes. Era um talento. Lol!

Milhita, tembém brinquei aos médicos. Mas as minhas preferidas eram mesmo a de restaurante e professoras.

Taralhoca, bolinhos de terra... quem sabe?