sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Embora seja um projecto que já abandonei por não haver lugar para mim no mercado de trabalho, eu já dei aulas. Num determinado ano em que fiquei colocada só com ensino recorrente nocturno, lá para meio do segundo período comecei a reparar que era a única professora que ainda tinha alunos mas não percebia muito bem porquê. A princípio limitava-me a achar que eles gostavam mais da minha disciplina. Tudo ficou claro na minha cabeça quando uma colega me disse, com ar paternalista:
- És mesmo estúpida! Tens a mania de ser boazinha e eles assim não desistem. Vais ter de trabalhar até ao fim do ano, vais ver!
Trabalhei, de facto, até ao final do ano lectivo.

15 comentários:

Anónimo disse...

Olá!
É de facto espantosa esta estória!!!!!!!!!!!
Mostra claramente como é preciso ter muita força para levar a bom porto algo que devia ser natural:ensinar, trocar conhecimentos (grande utopia a minha), seja o que fôr que lhe chamem. E a estúpida eras tu????
Certamente que aqueles jovens não te esquecerão. Trabalháste até final do ano e infelizmente estás "fora" e muitos jovens a perder...
teresa

A Senhora disse...

Isso é sério, mesmo?

Castanha Pilada disse...

Obrigada Teresa. De facto, ensinar é uma coisa de que tenho algumas saudades. Mas como isto está agora não sei se me apetecia voltar. A escola transformou-se num campo de batalha, anda tudo doido!

Esta é mesmo verdadinha Senhora. Mesmo verdadinha.

Dantins disse...

E eu que pensava que a ideia era que os professores conseguissem motivar os seus alunos. Perdeu-se uma boa professora!

mfc disse...

Que nunca te arrependas de ter feito bem a alguém!

Monday disse...

bom, parece que não é só aqui no meu país que gostam de fazer isso ... rsss

Castanha Pilada disse...

Dantins, a ideia é essa, mas alguns não sabem.

Eu não mfc! Eu não!

Castanha Pilada disse...

Monday, aí também?!

Saltapocinhas disse...

os meus garotos também nunca desistem, ihihih!

(serão os pais que não deixam??)

Castanha Pilada disse...

Os pais e o rendimento mínimo!

Miepeee disse...

E tu e que eras a estupida? Oh valha-me Sta. Engracia.

Castanha Pilada disse...

Lolll!!!

Emiele disse...

É complicado, ó se é!!!
Do ensino não posso falar muito. Também já passei por lá, mas eram alunos crescidos (penso que no recorrente nocturno também deviam ser...)que de um modo geral se «portavam bem» e colegas nem os via. Se dificuldades tive foi com a burocracia da Escola, que só me pagou mais de um ano depois de ter acabado o ano... Felizmente que não dei essas aulas para subsistir.
Contudo, apanhas (ou apanhavas, que a coisa agora anda diferente) com modos de ver parecidos, muitas vezes em colegas da Função Pública. Já me aconteceu em anos passados, se era mais despachada ou mais eficiente que os meus colegas ser olhada de lado, como se estivesse a pô-los em cheque de propósito. Assim é a «alma humana»....

Gi disse...

Os teus colegas professores não gostavam de fazer serão, não é?
Queriam era caminha!

Castanha Pilada disse...

Emiele, a alma humana ou a alma portuguesa? Não sei...

Pois Gi, mas não tinham motivo nenhum para isso, porque naquele tempo cada hora nocturna valia uma hora e meia. Era um vidinha que chagava a netos, mesmo tendo alunos.